Novidades

Novidades

    A Sociedade Brasileira de Dermatologia desenvolveu o Consenso Brasileiro de Fotoproteção, primeiro documento oficial sobre fotoproteção elaborado no Brasil e destinado a brasileiros. Abaixo, seguem algumas informações contidas nessa publicação.

Sol e Vitamina D

    A vitamina D é obtida pelos seres humanos a partir de luz solar, dieta (principalmente peixes e leite fortificado) e suplementos.

Recomendações do Consenso Brasileiro de Fotoproteção

  1. A exposição ao sol, de forma intencional e desprotegida, não deve ser considerada como fonte para a produção de vitamina D ou para prevenção de sua deficiência.

  1. O uso de protetores solares com FPS superiores a 30 deve ser recomendado para todos os pacientes, acima de 6 meses, expostos ao sol. Não se deve realizar exposição ao sol sem o uso adequado de protetores solares. Crianças abaixo de 6 meses não devem se expor diretamente ao sol e não devem fazer uso regular de fotoprotetores.

  1. Pacientes considerados como sendo de risco para o desenvolvimento de deficiência de vitamina D devem ser monitorados por exames periódicos e podem utilizar fontes dietéticas ou suplementação vitamínica para prevenção de deficiência de vitamina D.

  1. São considerados fatores de risco para o desenvolvimento de deficiência de vitamina D:

a) Lactentes recebendo amamentação exclusiva

b) Idosos com baixa exposição solar

c) Indivíduos com baixa exposição solar

d) Condições climáticas extremas

e) Uso rigoroso de medidas de fotoproteção

f) Cobertura da pele por práticas religiosas

g)Pessoas com pele escura (fototipos V e VI)

h) Pacientes com síndrome de má absorção

i) Obesos mórbidos

  1. A Sociedade Brasileira de Dermatologia continua a estimular a população a evitar a exposição ao sol sem a adequada proteção, especialmente no período de maior risco, entre 10h e 15h.

Orientação ao uso de fotoprotetores

Uma das estratégias recomendadas é o uso da regra da colher de chá.

Outra estratégia proposta é a aplicação do fotoprotetor em 2 camadas, feitas uma em seguida à outra, dobrando-se a quantidade aplicada, aproximando-se do valor de 2mg/cm2.

A primeira aplicação de fotoprotetores é fundamental e deve ser feita com maior atenção e cuidado, pelo menos 15 minutos antes do início da exposição ao sol, com reaplicação a cada 2 horas ou após longos períodos de imersão.

Referência: Consenso Brasileiro de Fotoproteção- Publicação oficial da Sociedade Brasileira de Dermatologia